Nascemos com um mecanismo chamado “auto-regulação”, ou seja, a capacidade do organismo de se manter constante e em equilíbrio através da realização das suas necessidades. A vida caracteriza-se pelo jogo continuo de estabilidade e desequilíbrio no organismo. Muito cedo na vida perdemos o manejo dessa habilidade, e quando permanecemos num estado de desequilíbrio por muito tempo e incapazes de satisfazermos as nossas necessidades, estamos “doentes”.

A terapia é um convite para olhar para as necessidades não atendidas, estejam elas no passado ou simplesmente no AQUI & AGORA.

 

SIMBOLO3.png

INDIVIDUAL

Tão logo nascemos perdemos nosso ponto de equilíbrio.

É bastante frequente os casais migrarem do encantamento à desilusão. Tendemos a admirar no outro aquilo que não temos, mas com o passar do tempo, tais características podem começar a nos incomodar.
A proposta é um olhar para cada um dos indivíduos dessa relação, apoiando-se no outro como uma testemunha íntima. É um olhar para cada um, não só para a relação em si. Através desse reconhecimento individual amplia-se a consciência para assim alcançar um relacionamento mais saudável e harmônico.

Um outro caminho é o que chamo de REPACTO, algo que acredito que todos os casais deveriam fazer em momentos pontuais da caminhada juntos. São encontros que visam reequilibrar, enxergar coisas que estão se perdendo e também elementos que surgiram. A terapia em casal não é necessariamente algo exclusivo para momentos de crise, pode ser uma espécie de manutenção, de colocar intenção na relação, de ressignificação. Esses encontros normalmente requerem poucas sessões ou sessões pontuais.

SIMBOLO5.png

CASAL

Expressar o amor

é uma arte!

Em grupo, diferente da terapia individual, os participantes são convidados a experimentarem uma TERAPIA VIVA onde os sentimentos emergem a partir do que acontece no momento e a figura do outro se coloca como referência e apoio. 

A “magia” se dá ao percebermos que nossas questões não são somente nossas, e portanto, vemos que as histórias dos outros nos tocam também.​ A terapia em grupo convida as pessoas à se reunirem e compartilharem questões que na sua grande maioria, apesar de serem individuais, refletem angustias e sofrimentos coletivos. Dessa forma, acessamos e elaboramos temas que poderíamos levar anos para conseguir trazer a tona em processos individuais, além de todos se beneficiarem de custos muito mais acessíveis.

SIMBOLO5.png

GRUPO

A história do outro me reconecta com a minha história.